PRIMEIRA COMUNHÃO

PROCESSO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ

Propomos que o processo catequético de formação adotado pela Igreja para a iniciação cristã seja assumido em todo o continente como a maneira ordinária e indispensável de introdução na vida cristã e como a catequese básica e fundamental. Dentro deste processo a catequese não realiza apenas mudanças metodológicas, mas reveste-se de um verdadeiro novo paradigma. (V Conferência Geral do Episcopado Conferência de Aparecida – Brasil 2007).

Os encontros de formação para o Sacramento da PRIMEIRA EUCARISTIA ocorrem todos os finais de semana, conforme a necessidade da comunidade. Tendo o período de formação de dois anos e meio, com início em fevereiro e término em junho com a Celebração da Primeira Comunhão acontece no tempo Pascal.

Todos os catequizandos de Eucaristia I, II e III e Adultos I e II percorrem este itinerário:

O ITINERÁRIO E AS ETAPAS DA INICIAÇÃO CRISTÃ – CONFORME O RICA

PRÉ-CATECUMENATO

– Etapa do acolhimento na comunidade cristã
– Primeira evangelização
– Inscrição e colóquio com o catequista.
– Ritos Celebração da Entrada

CATECUMENATO

– Etapa suficientemente longa para: CATEQUESE – REFLEXÃO – APROFUNDAM.
– Vivência cristã (conversão)
– Entrosamento com a Igreja.
– Ritos Celebração da Eleição

PURIFICAÇÃO E ILUMINAÇÃO – QUARESMA

– Preparação próxima para Sacramentos
– CATEQUESE – Práticas quaresmais (CF. RETIROS…)
– Ritos Celebração dos Sacramentos de iniciação cristã na Vigília Pascal

MISTAGOGIA

Aprofundamento e vivência do mistério cristão-mistério pascal. Terminada a IVC o cristão continua sua formação permanente na C.

Nas etapas (grandes celebrações da passagem de um tempo para o outro) são feitas as entregas:

– Palavra de Deus
– Símbolo da Fé (Credo)
– Oração do Senhor… e outras.
– Outros rituais: unções, exorcismos, escrutínios.

O sacramento da Sagrada Eucaristia, que, juntamente com o batismo e a confirmação, faz parte do sacramento de iniciação cristã. Ela que é o misterioso centro de todos esses sacramentos; portanto, a fonte e o centro de toda a vida cristã.

Esse sacramento é conhecido por diversos nomes: Eucaristia, Santa Missa, Ceia do Senhor, Fração do Pão, Celebração Eucarística, Memorial da Paixão, da Morte e da Ressurreição do Senhor; Santo Sacrifício, Santa e Divina Liturgia, Santos Mistérios, Santíssimo Sacramento do altar, Santa Comunhão.

Originalmente, a Sagrada Eucaristia era a oração de ação de graças da Igreja primitiva e precedia a consagração do pão e do vinho. Posteriormente, a Palavra foi conferida a toda celebração da Santa Missa. A Sagrada Eucaristia é o sacramento em que Jesus entrega o Seu Corpo e o Seu Sangue – Ele próprio, por nós, para que também nos entreguemos a Ele em amor e nos unamos a Ele na Sagrada Comunhão. É o próprio sacrifício do Corpo e do Sangue do Senhor Jesus, que Ele instituiu para perpetuar o sacrifício da cruz no decorrer dos séculos até o Seu regresso, confiando assim à Sua Igreja o memorial da Sua Morte e Ressurreição. É o sinal da unidade, o vínculo da caridade, o banquete pascal em que se recebe Cristo, a alma se enche de graça e nos é dado o penhor da vida eterna.

Sendo, portanto, a Eucaristia um memorial no sentido que torna presente e atual o sacrifício que Cristo ofereceu ao Pai, uma vez por todas, na cruz, em favor da humanidade. O carácter sacrificial da Eucaristia manifesta-se nas próprias palavras da instituição dela: “Isto é o meu corpo, que vai ser entregue por vós” e “este cálice é a nova aliança no meu sangue, que vai ser derramado por vós” (Lc 22,19-20). O sacrifício da cruz e o sacrifício da Eucaristia são um único sacrifício. Idênticos são a vítima e Aquele que oferece, diverso é só o modo de oferecer-se: cruento na cruz, incruento na Eucaristia.